Matemática Finaceira

Principais termos usados na matemática financeira, assim como conceitos e fórmulas de juros, descontos, amortização, taxas, empréstimos e financiamento, além dos principais sistemas e métodos de cálculo, entre outros temas pertinentes a essa área.

A Matemática Financeira possui diversas aplicações no atual sistema econômico. A palavra finanças remete especificamente àquelas relações da matemática com o dinheiro tal qual o concebemos nas diversas fases da história. Muitas situações estão presentes no cotidiano das pessoas e têm ligação imediata com o dinheiro, seja o fato de ter um pouco de dinheiro, nada de dinheiro ou muito dinheiro.

Em todas as situações ter educação financeira torna-se fator determinante da ascensão profissional e saúde financeira pessoal e empresarial. Os financiamentos são os mais diversos e criativos.

Essa “mania” é muito antiga, remete as relações de troca entre mercadorias que como passar das eras e diferentes civilizações evoluíram naturalmente quando o homem percebeu existir uma estreita relação entre o dinheiro e o tempo – “tempo é dinheiro”.

Processos de acumulação de capital e a desvalorização da moeda levariam intuitivamente a ideia de juros, pois se realizavam basicamente devido ao valor temporal do dinheiro.

O conceito de juros surgiu quando o homem percebeu a existência de  uma afinidade entre o dinheiro e o tempo. 

As situações de acúmulo de capital e desvalorização monetária davam a  ideia de juros devido ao valor momentâneo do dinheiro (cada dia as diferentes  moedas tinham e continuam tendo um valor). 

Algumas tábuas matemáticas se caracterizavam pela organização dos  dados e textos relatavam o uso e a repartição de  insumos agrícolas através de operações  matemáticas.

Os sumérios, povos que  habitaram o Oriente Médio,  desenvolveram o mais antigo sistema  numérico. Eles registravam documentos  em tábuas de argila.

Essas tábuas retratavam  documentos de empresas comerciais.  Algumas eram utilizadas como  ferramentas auxiliares nos assuntos  relacionados ao sistema de peso e  medida.

Havia tábuas para a multiplicação, números quadrados, números cúbicos  e exponenciais (ideia de função). 

As funções exponenciais estão diretamente ligadas aos cálculos de juros  compostos e os juros simples à noção de função linear. Mais adiante veremos  com mais detalhes essas relações. 

Consequentemente existe a relação da escrita antiga dos sumérios com  o nosso sistema de numeração, o sistema indo-arábico (inventado pelos hindus  e transmitido à Europa Ocidental pelos árabes). 

E os juros? Sempre existiram? 

Na época dos sumérios, os juros eram pagos pelo uso de sementes e de  outros bens emprestados. Os agricultores realizavam transações comerciais  onde adquiriam sementes para efetivarem suas plantações.

Após a colheita, os agricultores realizavam o pagamento através de  sementes com a seguida quantidade proveniente dos juros do empréstimo.

A forma de pagamento dos juros foi modificada para suprir as exigências atuais, no caso dos agricultores, claro que o pagamento era feito na próxima colheita.
A relação tempo/juros foi se ajustando de acordo com a necessidade de cada época. Atualmente, nas transações de empréstimos, o tempo é preestabelecido pelas partes negociantes.

Vale observar que os juros sempre sofreram com as intempéries. Naquela época, muito mais relacionadas com o clima, época de plantio e colheita. Atualmente, os juros sofrem alterações de base por conta das políticas
monetárias, do banco central, ou seja, a oscilação dos juros depende não apenas da vontade política/econômica do Ministro da Fazenda e das decisões do COPOM (Comitê de Política Monetária do Banco Central) mas também das
políticas econômicas nacionais e internacionais de diferentes gestões, período de crises financeiras, alta e baixa da taxa de desemprego, da instalação de indústrias e de índices de desenvolvimento humano (IDH).

Atualmente se utiliza o financiamento para as mais diversas situações do universo capitalista, porque o “ter” é a engrenagem da máquina financeira mundial.

A compra da casa própria, carro, moto, realizações pessoais (empréstimos), compras a crediário ou com cartão de crédito, aplicações financeiras, investimentos em bolsa de valores etc.

Depende do quanto se ganha e de quanto está disposto a arriscar em financiamentos a curto, médio e longo prazo.
Em resumo, todas as movimentações financeiras são baseadas na estipulação prévia de taxas de juros e envolvem o tempo para quitar a dívida.

 

Ficou Interessado em aprender sobre a Matemática Financeira ?

Acesse:https://impactusmt.com.br/produto/matematica-financeira/ 

e confira este curso e muito mas!

 

 

Compartilhar este post

Precisa de ajuda? nos chame no Whatsapp.