Outubro Rosa

Outubro Rosa é uma campanha de conscientização que tem como objetivo principal alertar as mulheres e a sociedade sobre a importância da prevenção e do diagnóstico precoce do câncer de mama e mais recentemente sobre o câncer de colo do útero.

No Brasil, as campanhas de conscientização sobre o câncer de mama acontecem desde 2002, mas foram instituídas por lei federal apenas em 2018. E, a partir de 2011, ocorrem campanhas sobre o câncer de colo do útero em diversos estados. A publicidade adotou o tom de rosa como motivador de campanhas no período, e ações em mídias sociais também tendem a ser reforçadas durante este mês.

O movimento começou a surgir em 1990 quando aconteceu a primeira Corrida pela Cura, realizada em Nova Iorque, e desde então, promovida anualmente na cidade. Entretanto, somente em 1997 é que entidades das cidades de Yuba e Lodi, também nos Estados Unidos, começaram a promover atividades voltadas ao diagnóstico e prevenção da doença, escolhendo o mês de Outubro como epicentro das ações. Hoje o Outubro rosa é realizado em vários lugares do mundo.

O câncer de mama é  o segundo tipo de câncer mais incidente no mundo (1,7 milhão). No Brasil, sem considerar os tumores de pele não melanoma, o câncer de mama é o primeiro mais frequente nas mulheres, sendo estimado 60 mil casos novos para cada ano do biênio 2018-2019, com um risco estimado de 56 casos a cada 100 mil mulheres.

Os fatores de risco incluem idade, primeira menstruação antes de 12 anos, parar de menstruar (menopausa) após os 55 anos, primeira gravidez após os 30 anos, nuliparidade (não ter tido filhos), exposição à radiação, terapia de reposição hormonal (principalmente por mais de cinco anos), obesidade, ingestão regular de álcool, sedentarismo, história familiar, entre outros.

Quando os sintomas aparecem, pode-se perceber um nódulo (fixo, endurecido e, geralmente, indolor) ou espessamento que pareçam diferentes do tecido das mamas, endurecimento da mama, desconforto ou dor em umaúnica mama que seja persistente, mudanças no mamilo (retração e desvio), secreção espontânea pelo mamilo, principalmente se for unilateral, pele da mama avermelhada, retraída ou parecida com casca de laranja, mudança no contorno das mamas (retração ou abaulamento), inversão, descamação ou ulceração do mamilo, pequenos nódulos na região embaixo dos braços (axilas) ou no pescoço. Para uma melhor percepção das alterações, deve-se realizar o autoexame com a finalidade de conhecer as próprias mamas e detectar as modificações que porventura venham a aparecer.

A detecção do câncer de mama é fundamental quando a doença ainda não se manifestou, pois quando diagnosticado e tratado ainda no início, a maioria dos casos tem boa resposta ao tratamento. Na mamografia, o tumor pode ser detectado antes mesmo de ser identificado através da palpação, portanto, torna-se um exame imprescindível no diagnóstico da doença.

Cerca de 30% dos casos de câncer de mama podem ser evitados com a adoção de hábitos saudáveis. Para prevenção, ressalta-se a prática atividade física regularmente, alimentar-se de forma saudável, manter o peso corporal adequado, evitar o consumo de bebidas alcoólicas e amamentar. Destaca-se também a importância de ações intersetoriais que promovam acesso à informação clara, consistente e culturalmente apropriadas.

 

 

 

 

 

 

Fontes: www.sesi-ce.org.br/blog/outubro-rosa-um-toque-de-prevencao/,wikipedia

Compartilhar este post

Precisa de ajuda? nos chame no Whatsapp.